Monday, May 8, 2006

Tempo de hackozar

O nwu está há semanas na UTI. Culpa de um daqueles bugs difíceis de se resolver, que podem inviabilizar projetos de desenvolvimento voluntário. O problema pode até não ser complicado, mas dá uma preguiça enorme de sentar para trabalhar nisso.É frustrante. Em um projeto desenvolvido em tempo livre, dá uma broxada você sentar vários dias pra resolver um problema, mas não sair nada.

O problema no [tag]nwu[/tag] é uso de memória. Eu não sou um desenvolvedor muito experiente, daí ainda me embanano em projetos grandes. Nesse caso, apesar de todos os meus esforços para fazer um código organizado e bem estruturado, todos os requests XML-RPC estão sendo mantidos em um mesmo escopo do sistema. Mesmo seguindo a sugestão do coredump e usando threads, o problema persiste, isto é, o SQLObject faz cache de requests e o daemon não desfaz as referências aos objetos, como deveria (quer dizer, como eu gostaria).

A solução é fazer conexões do sqlobject para cada thread. O desafio é fazer isso sem utilizar o ConnectionHub, disponível apenas no sqlobject 0.7 - que não está disponível no [tag]Debian[/tag] 3.1, uma das distribuições-alvo (junto com [tag]Ubuntu[/tag] 6.06). Acredito que usar um dicionário e manter nele as conexões de cada thread. Vamos ver :-). Ainda estou devendo também fazer a estrutura de unittest pro nwu, como sugerido pelo Otavio Salvador, melhoria essencial pra ferramenta ser confiável.

A novidade do dia é que recebi um convite do Google para hospedar os e-mails do cetico.org no Gmail. Eu havia me inscrito como beta tester do programa há alguns meses - é o chamado [tag]gmail hosted[/tag].
É impecável. Além de poder utilizar a interface do Gmail nos e-mails de seu próprio domínio, cujas contas você pode administrar por meio de uma interface googliana, ele permite algum nível de personalização, disponibiliza [tag]jabber[/tag] com syndication, além de todas as funcionalidades do gmail, como POP, anti-spam. Isso tudo com a vantagem de utilizar seu próprio domínio personalizado.

Não sei se o serviço continuará a ser gratuito, mas pelo modelo de negócios do Google, tudo indica que sim. Os adwords continuam lá, mas não incomodam. É duca.