Sunday, January 7, 2007

LPIC2, em breve

A turma no trampo está empolgada pra fazer as provas da LPI. Dois colegas passaram na 101 semana passada, Wesley e Alexfuu, e amanhã o Gabriel Peixoto vai fazer também.
A 201, que fiz em outubro, não foi muito difícil, apesar de algumas perguntas bizarras terem aparecido.

Estou querendo fazer logo a 202, e vejo que vou ter que realmente estudar pra essa prova.

O que me impressiona nos objetivos da 202 é a abrangência de todas as alternativas. Por exemplo, o objetivo 2.206.1, "Configuring mailing lists", engloba mailman, majordomo e Ezmlm.

O objetivo 2.206.2, "Using email services", exige conhecimentos de postfix, qmail, sendmail e exim.

Ora, isso é foda. E muito bom. A tendência de todos os sysadmins, eu inclusive, é que, ao aprender a utilizar uma alternativa, surge uma enorme resistência em aprender outra.

Configurar um MTA não é um processo simples. Levei bastante tempo até enteder o funcionamento do Postfix e memorizar os parâmetros de configuração mais importantes. Hoje, configurar um servidor de e-mail usando Postfix é uma coisa bem automática. Nesses casos, quando a gente se topa com outro sistema, dos quais nada conhecemos a não ser a teoria de funcionamento - que é sempre a mesma -, dá sempre vontade de destruir o que está feito e refazer com o que sabemos. Ora, qmail só serve pra ser migrado.

Isso se chama preguiça. Do ponto de vista da "utilidade galática", por um lado pode ser bom pois cria a tendência de uniformização das soluções. Por outro lado, no entanto, aprofunda a tendência universal de que nos tornemos burros e limitados. Ora, um sysadmin decente tem que saber Exim e qmail tanto quanto Sendmail e Postfix.

Infelizmente é isso que, felizes, devemos fazer.
A prova 202 da LPI exige conhecimentos de todos esses MTA's, e de vários softwares de listas de discussão, mesmo aqueles bem velhos. Muita gente reclama: "Eu já sei mailman, não preciso saber majordomo". A certificação não existe pra provar que você sabe muita coisa, e sim que você sabe aquilo que importa.
E é por isso que eu valorizo tanto essas "certificações de TI". Dou valor à certificação e ao profissional certificado. Pra mim, um cara com LPIC merece respeito, inclusive no nível 1, porque tenho certeza que ele estudou e entende dos conteúdos que realmente importam para o trabalho de administração de sistemas Linux.
.. mas quem não merece respeito?

Depois tem o LPIC3. Quem fez (Leandro Godoy da Rocha no under-linux.org, e o Fernando Ribeiro no IRC) ficou impressionado.